Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2015 -

Caspa o que é e como cuidar.

Caspa eu ? Lembra dessa frase? Os mmais velhos lembram mas não é so em pessoas de idade que ela aparece. Veja detalhes desta coisa que incomoda e fica feio no seu ombro e na cabeça.

Sinônimos e nomes populares:

Eczema ou dermatite seborréica, ermo, caspa.

O que é?

É uma doença que acomete 2 a 5% da população, sendo mais freqüente no sexo masculino, com início gradual das lesões. Pode ser mais intensa nos recém-nascidos e a partir da adolescência (períodos de maior atividade das glândulas sebáceas).

É uma erupção comum, com o aparecimento de manchas avermelhadas com escamas amareladas e finas, distribuídas no couro cabeludo, sobrancelhas, orelhas, parte central da face, peito e costas, sulco inframamário, umbigo, área genital e virilhas. O envolvimento ocular também pode ser observado (blefarite, conjuntivite).

Como se desenvolve ou se adquire?

A causa não é conhecida. É provavelmente uma resposta (reação) a um parasita comum da pele, o Pityrosporum ovale.

O que se sente?



A coceira é variável. Tem uma evolução crônica, com períodos de piora (estresse, frio, algumas doenças) e melhora (exposição solar, calor).

A descamação (escamas soltas) visível no couro cabeludo, comumente conhecida como caspa, é uma forma de dermatite seborréica, não sendo contagiosa. Nas crianças, acomete o couro cabeludo (chamada crosta láctea), área das fraldas (conhecida como dermatite das fraldas) e outras áreas de dobras.

Como o médico faz o diagnóstico?

Geralmente o diagnóstico é feito pela localização e tipo das lesões, associado a fatores desencadeantes. Raramente é necessário exame de pele, como biópsia, para fazer diagnóstico diferencial com outra doença de pele.


Como se trata?

Por se tratar de uma doença crônica, é importante o uso de medicamentos na pele e couro cabeludo tanto na crise quanto na intercrise - para tratar e prevenir as lesões - não tendo efeito curativo.

Como se previne?

As recidivas das lesões podem ser prevenidas com o uso de medicamentos adequados entre as crises. Ficar alerta para desencadeantes como inverno (frio e menor exposição solar) e estresse. As lesões não são contagiosas.