Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2015 -

Quer cuidar do coração? Cuide de sua boca

Já fazem alguns anos que infecções na boca têm sido associadas a um maior risco de doenças cardíacas. 

Para a maior parte da população, entretanto, esta ligação não é bem entendida, muito devido ao fato das pessoas perceberem os dentes e a boca como partes independentes do resto do corpo. 

Desta forma, a noção que uma simples gengivite pode aumentar o risco de desenvolver uma doença cardíaca grave torna-se contraintuitiva.

Os principais motivos que levam as pessoas a terem cuidado com a higiene oral estão ligados à aparência, prevenção de infecções na boca e mau hálito. Poucos sabem que com este hábito simples estão ajudando a evitar doenças cardiovasculares.

Infecções na boca constituem a doença mais comum da humanidade e suas consequências não se restringem ao ambiente bucal. Isto é o que prova um artigo de revisão que compila resultados dos principais trabalhos científicos publicados sobre o assunto. A revisão, publicada recentemente na revista Trends in Endocrinology and Metabolism, confirma que existem fortes evidências científicas que associam as infecções da boca (as mais comuns são a gengivite, a periodontite e a cárie) a uma maior incidência de doenças cardiovasculares.

O mecanismo que explica esta ligação entre infecção oral, comumente produzida por uma higiene bucal descuidada, e doenças sistêmicas, como as doenças cardiovasculares, está agora melhor esclarecido. As infecções da gengiva, gengivites com formação de placa bacteriana, podem evoluir para a infecção das estruturas de ligação dos dentes com o osso, que são as periodontites. Por sua vez, cáries não tratadas podem evoluir para a infecção da polpa dental. Todas estas condições servem de porta de entrada das bactérias para a circulação sistêmica.

Estudos recentes demonstram a presença do DNA de bactérias orais em placas de ateroma; estas bactérias contribuem de maneira direta ou como um cofator para o desenvolvimento de inflamação crônica e aterosclerose com todas as suas consequências cardiovasculares. Existe uma relação dinâmica entre o microbioma oral (conjunto de bactérias que infectam a boca) e o processo de inflamação sistêmica crônica que predispõe o individuo a desenvolver doença cardiovascular.

Escovar os dentes regularmente e, principalmente, fazer uso do fio dental, são formas baratas e eficazes de remover ou impedir a formação de placas bacterianas, impedindo as infecções na boca.

A boa higiene oral, além de causar boa aparência, evitar o mau hálito e trazer bem estar na boca, pode contribuir muito para diminuir o risco de doença cardíaca!



-Texto : ABC da Saúde
-Fonte :Trends in Endocrinology and Metabolism - In press - Available online
-Foto   : Site Viva Saúde